Pesquise sem acentos

Pesquisa personalizada

Apostila com atividades de coordenação motora


O PAPEL DO PROFESSOR: 


Cabe ao professor conhecer as etapas do desenvolvimento psicomotor da criança, características das faixas etárias, necessidades e interesses, para melhor planejar a ação docente. Por isso, é de fundamental importância o professor desenvolver atividades sabendo a que servem, e não aleatoriamente, arrolando-as como necessárias ao domínio do esquema corporal, como se esta expressão significasse apenas uma coisa.
O desenvolvimento psicomotor tanto de crianças normais quanto de criança portadoras de distúrbios requer o auxilio constante do professor, através da estimulação em sala de aula e do encaminhamento, quando se fizer necessário.
O professor pode ajudar e muito, em todos os níveis, na estimulação do desenvolvimento cognitivo e para o desenvolvimento de aptidões e habilidades, na formação de atitudes através de uma relação afetiva saudável e estável (que crie uma atmosfera de segurança e bem-estar para a criança) e, sobretudo, respeitando e aceitando a criança do jeito que ela é.
A reeducação psicomotora é um processo, uma terapia programada que visa modificar o comportamento. Parte dessa atuação é privativa do técnico em psicomotricidade. No entanto, as atitudes do professor têm de estar relacionadas com a orientação especifica do profissional habilitado. É preciso mais do que vontade e boas intenções: é necessário intervir de forma adequada, no momento oportuno, com técnicas apropriadas.
Na área da educação, a psicomotricidade abrange um campo preventivo e ideal seria que todos os professores tivessem conhecimentos básicos do assunto.O educador tem que estar atento, para detectar quando o aluno têm dificuldade na aprendizagem e se esta disperso para então estimula-lo.
O professor antes de alfabetizar terá que mostrar a criança que ele precisa executar movimentos amplos, transportar objetos, exercitar movimentos de pinça com o polegar e o indicador. Ela necessita movimentar ao máximo os dedos, as articulações do braço, do pulso e das mãos, para perceber os tipos de pressão, de resistência, de temperatura e as formas dos objetos.
A ação educativa da escola consistirá em desenvolver a espontaneidade adaptada ao ambiente. Para isso é necessário que o professor tenha conhecimento do ritmo de desenvolvimento da criança e crie as condições para o seu progresso. O que só é possível num ambiente em que ela pode se beneficiar do contato com outras crianças de mesma idade, participando de atividades coletivas, alternadas com tarefas mais individuais.
O professor ao transmitir atividades lúdicas as crianças estará propiciando a mesma que ela crie uma personalidade e a maturação da imagem do corpo. Essas atividades, aliás adquirem um valor catártico* na medida em que permite à criança a liberação de certas tensões.
Mediante uma atitude não diretiva, que garanta uma certa liberdade, o educador permite à criança realizar sua experiência do corpo, indispensável no desenvolvimento das funções mentais e sociais. Desenvolvendo-se nesse clima, a criança vai adquirindo pouco a pouco confiança em si mesma e melhor conhecimento de suas possibilidades e limites, condições necessárias para uma boa relação com o mundo.
Os intercâmbios orais suscitados pela ação representam uma verdadeira linguagem social, muito importante de ser desenvolvida na fase pré-escolar. Tendo em conta as condições práticas nas quais trabalha e o conhecimento que tem das crianças, o professor deve imaginar situações que possibilitem esses intercâmbios orais.
É preciso também que o professor ajude a criança a afirmar sua própria lateralidade, permitindo-lhe realizar livremente suas experiências motoras. Nas primeiras atividades gráficas, não exercer nenhuma pressão na criança no sentido de incita-la a usar a mão direita, a fim de que a coordenação óculo-manual (aspecto particular do ajustamento motor global) corresponda, verdadeiramente, a uma auto-organização.
Na educação psicomotora o professor deve ter como inicial ensinar a criança a ficar sentada, adquirir boa postura, ouvir. Só depois de atingir esse objetivo é que ela será capaz de receber ordens, concentrar-se, usar a memória, executar tarefas do começo ao fim. O progresso pode ser lento, mas como em todas as outras áreas, o grande e principal objetivo é o de não deixar lacunas entre as etapas. Uma estimulação mal orientada confunde ainda mais, daí a importância de o educador conhecer e perceber a graduação necessária das técnicas a serem utilizadas.

























































2 comentários

  1. adorei seu blog.muito bem feito e organizado,mas não estou conseguindo baixar a apostila. o link não existe. pode me ajudar? desde já agradeço pela atenção.

    ResponderExcluir
  2. O link estava corrompido, já foi consertado! Bjs!

    ResponderExcluir

Deixe um comentário! Sua opinião é importante.

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Tradutor

ESPAÇO EDUCAR NO FACEBOOK

CURSOS ONLINE

ALFABETIZAÇÃO ANIMAÇÃO E RECREAÇÃO BULLYING COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DISTÚRBIOS APRENDIZAGEM ED. AMBIENTAL EJA ED. ESPECIAL REDAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS GESTÃO ESCOLAR RACIOCÍNIO LÓGICO MEMORIZAÇÃO PLANEJAMENTO DE ENSINO VER MAIS CURSOS BERÇARISTA INGLÊS BRINQUEDOTECA CONTADORES DE HISTÓRIAS GASTRONOMIA INFORMÁTICA NUTRIÇÃO INFANTIL

Novidades por e-mail! INSCREVA-SE

Cadastre seu e-mail para receber novidades!

Ao receber o primeiro e-mail será preciso clicar no link de confirmação.

POSTS RECENTES

MAIS LIDAS

AMIGOS DO ESPAÇO EDUCAR

DIVULGUE...

Espaço Educar - Um espaço para quem ama educação

DICAS DE RECICLAGEM!


Caixinha porta-jóias ou porta-treco feita com reciclagem de cd usado, caixa de leite, colheres, materiais reciclados!







ARQUIVO