Pesquise sem acentos

Pesquisa personalizada

A arte indígena - Dia do índio - sugestão de atividade: confecção e exposição

Criança da etnia Kayapó, com enfeites, pintura e cortes de cabelo tradicionais.
A imagem acima pertence a Arte Indígena.

Arte é uma categoria criada pelo homem ocidental. E, mesmo no Ocidente, o que deve ou não deve ser considerado arte está longe de ser um consenso. O que não dizer da aplicação desse termo em manifestações plásticas de povos que nem ao menos possuem palavra correspondente em suas respectivas línguas?

O assunto é complexo e, a despeito da inadequação do termo, muitas obras indígenas têm impactado a sensibilidade e/ou a curiosidade do “homem branco” desde o século XVI, época em que os europeus aportaram nas terras habitadas pelos ameríndios. Nesse período, objetos confeccionados por esses povos eram colecionados por reis e nobres como espécimes “raros” de culturas “exóticas” e “longínquas”.

Até hoje, uma certa concepção museológica dos artefatos indígenas continua a vigorar no senso comum. Para muitos, essas obras constituem “artesanato”, considerado uma arte menor, cujo artesão apenas repete o mesmo padrão tradicional sem criar nada novo. Tal perspectiva desconsidera que a produção não paira acima do tempo e da dinâmica cultural. Ademais, a plasticidade das obras resulta da confluência de concepções e inquietações coletivas e individuais, apesar de não privilegiar este último aspecto, como ocorre na arte ocidental. Confeccionados para uso cotidiano ou ritual, a produção de elementos decorativos não é indiscriminada, podendo haver restrições de acordo com categorias de sexo, idade e posição social. Exige ainda conhecimentos específicos acerca dos materiais empregados, das ocasiões adequadas para a produção etc.

As formas de manipular pigmentos, plumas, fibras vegetais, argila, madeira, pedra e outros materiais conferem singularidade à produção ameríndia, diferenciando-a da arte ocidental, assim como da produção africana ou asiática. Entretanto, não se trata de uma “arte indígena”, e sim de “artes indígenas”, já que cada povo possui particularidades na sua maneira de se expressar e de conferir sentido às suas produções.

Os suportes de tais expressões transcendem as peças exibidas nos museus e feiras (cuias, cestos, cabaças, redes, remos, flechas, bancos, máscaras, esculturas, mantos, cocares...), uma vez que o corpo humano é pintado, escarificado e perfurado; assim como o são construções rochosas, árvores e outras formações naturais; sem contar a presença crucial da dança e da música. Em todos esses casos, a ordem estética está vinculada a outros domínios do pensamento, constituindo meios de comunicação – entre homens e mulheres, entre povos e entre mundos – e modos de conceber, compreender e refletir a ordem social e cosmológica.

Nas relações entre os povos, os artefatos também são objeto de troca, inclusive com o “homem branco”. Ultimamente, o comércio com a sociedade envolvente tem apontado uma alternativa de geração de renda por meio da valorização e divulgação de sua produção cultural.

Fonte: Povos indigenas no Brasil

__

Encontrei e achei interessante divulgar: Um site que vende artefatos, artigos, arte indígena: Arte Indígen. Visite e conheça!

Algumas artes encontradas:

 Cesto Guarani, tribo tapirapé, Mato Grosso, feito com taliscas de arumã.


Cerâmica da tribo Meinako, Xingu, argila e tinta vegetal.


Estojo porta-setas da tribo dos Matis, Amazonas. Feita com taboca, fios de tucum, paina, cerâmica, veneno curare e madeira.


__



     Uma boa sugestão para aula ou projeto indígena é que os alunos possam visualizar fotografias de arte indígena, seja em slides, vídeos ou recortes de revistas e em seguida confeccionar algum elemento desta arte para uma exposição. Isto os aproximará mais da realidade indígena, ao invés do modelo estilizado a que estão acostumados em filmes ou mesmo em livros de histórias.


Esta postagem pertence ao Espaço Educar.
Se você copiar, dê os créditos. E-mail para colaboração: espacoeducarliza@yahoo.com.br
 Inscreva seu e-mail e receba todas as nossas novidades! 
  By FeedBurner
Você receberá um e-mail de confirmação. É preciso seguir o link para confirmar.

Um comentário

  1. Obrigada Liza,mais uma vez suas ideias e sugestões me inspiram. Vou pedir aos alunos que tragam de casa materiais que possuam que representam a arte indígena que tenham adquirido dos mesmos quando visitam a cidade negociando seus produtos para sobreviverem. Visitaremos sitios arqueológicos descobertos em nosso município que provam a existência de índios em São Marcos, RS.
    Laudete

    ResponderExcluir

Deixe um comentário! Sua opinião é importante.

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Tradutor

ESPAÇO EDUCAR NO FACEBOOK

CURSOS ONLINE

ALFABETIZAÇÃO ANIMAÇÃO E RECREAÇÃO BULLYING COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DISTÚRBIOS APRENDIZAGEM ED. AMBIENTAL EJA ED. ESPECIAL REDAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS GESTÃO ESCOLAR RACIOCÍNIO LÓGICO MEMORIZAÇÃO PLANEJAMENTO DE ENSINO VER MAIS CURSOS BERÇARISTA INGLÊS BRINQUEDOTECA CONTADORES DE HISTÓRIAS GASTRONOMIA INFORMÁTICA NUTRIÇÃO INFANTIL

Novidades por e-mail! INSCREVA-SE

Cadastre seu e-mail para receber novidades!

Ao receber o primeiro e-mail será preciso clicar no link de confirmação.

POSTS RECENTES

MAIS LIDAS

AMIGOS DO ESPAÇO EDUCAR

DIVULGUE...

Espaço Educar - Um espaço para quem ama educação

DICAS DE RECICLAGEM!


Caixinha porta-jóias ou porta-treco feita com reciclagem de cd usado, caixa de leite, colheres, materiais reciclados!







ARQUIVO